fbpx

Márcio confirma candidatura e diz estar trabalhando em plano de governo

Único nome tido como certo para a disputa eleitoral do ano que vem, para a sucessão do prefeito Marcelo Rangel, o empresário e ex-deputado estadual Márcio Pauliki confirmou, na entrevista ao “Verdade em Pauta”, sua disposição em concorrer, de novo, à Prefeitura Municipal, no pleito do próximo ano, dizendo que está aproveitando este ano para reunir um grupo de pessoas que, com ele, pense a cidade e participe da elaboração de um plano de governo para ser apresentado ao eleitorado, na ocasião adequada, no ano que vem. Conta estar conversando com o deputado estadual Plauto Miró Guimarães, do DEM, e com o deputado federal Aliel Machado, do PSB, num ensaio de preparação de terreno para uma forte aliança em torno de sua eventual candidatura.

Candidato em 2012 pelo PDT, quando concorreu com o deputado Péricles de Holleben Mello e com o também então deputado estadual Marcelo Rangel, que venceu a eleição, Márcio foi, literalmente, roubado pelo Ibope, na pesquisa divulgada na véspera do pleito, na noite do sábado, que lhe subtraiu dez pontos, colocando-o em terceiro lugar, o que teria sido determinante para sua derrota eleitoral no primeiro turno, vendo seus dois adversários irem para o segundo turno, com uma vitória apertada de Marcelo Rangel.

O Márcio Pauliki de 2019 apresenta algumas vantagens em relação ao Márcio Pauliki de 2012, a começar pela experiência vivida na sua primeira disputa eleitoral, a de prefeito, em seguida, em 2014, a sua eleição para a Assembleia Legislativa e, no ano passado, uma segunda derrota eleitoral, desta feita, para deputado federal, pelo Solidariedade, com coligação com o MDB, do então candidato ao Palácio Iguaçu, deputado João Arruda,

Com perfil muito mais para executivo do que para parlamentar, até pela larga e vitoriosa experiência na vida profissional, no comando da empresa Mercado Móveis, fundada por seu pai, o empresário Jeroslau Paulki, Márcio é um nome importante para o processo eleitoral do ano que vem, aliás, o único que assume, por ora, o desejo de concorrer, pela segunda vez, ao comando do governo da cidade.

Além da experiência empresarial e da experiência política, Márcio Pauliki tem um bom histórico de participação comunitária, tendo presidido, com êxito, por exemplo, a Associação Comercial e Industrial de Ponta Grossa, que lhe deu boa projeção política, por conta da eficiente gestão desenvolvida e que se prestou a fortalecer a ACIPG.

Definindo-se como homem de centro, nem esquerda, nem direita, deixa claro ter vida curta no Solidariedade, uma vez que, no ano passado, deixou o PDT para ingressar num partido de sindicalistas, que não é de direita, nem de esquerda, pois é a favor da volta do Imposto Sindical, o que, naturalmente, contraria o pensamento do empresário Márcio Pauliki, que, até por conta disso também, deve estar estudando e examinando a nova travessia que haverá de fazer para um novo partido, que haverá de ser o quarto em sua ainda recente história política, eis que foi filiado ao PPS, depois foi para o PDT, do ex-senador Osmar Dias, a quem dedicou vistosa fidelidade, tendo, por orientação do próprio Osmar trocado o PDT pelo Solidariedade, para reforçar a candidatura do mesmo Osmar ao Palácio Iguaçu, no ano passado, o que acabou, na sequência, não se confirmando.

Hoje, desligado do PDT e de Osmar Dias, o ex-deputado Márcio Pauliki está à vontade para buscar um novo espaço partidário, que se ajuste à sua própria definição ideológica, como sendo um partido de centro, longe da esquerda, que seria corrupta, e da direita, que seria incompetente.

Então, por definição própria, quer a companhia do honesto e do competente. É um bom indicativo nesta reiniciada caminhada política.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *