fbpx

No quê a disputa entre direita e esquerda será diferente no ano que vem, em Ponta Grossa?

Temos abordado, aqui, que a disputa eleitoral do ano que vem, em Ponta Grossa, será um confronto entre a direita e a esquerda. E um confronto aberto, com todas as cores de cada grupo, de modo a não deixar dúvidas sobre “quem é quem”. E esse confronto será, do lado da direita, entre o quase já ex-deputado Márcio Pauliki, mais o candidato a ser apoiado pelo prefeito Marcelo Rangel e o seu irmão, deputado federal e secretário de Infraestrutura e Logística, Sandro Alex, e o representante das esquerdas, devidamente assumido, deputado federal Aliel Machado.

E estamos a dizer que será um confronto interessante, porque não guarda semelhança com os embates havidos no passado, como em 1976, quando o jovem deputado estadual Luiz Carlos Zuk ganhou a eleição, pelo MDB, e, mais recentemente, o deputado Péricles de Holleben Mello, do PT, venceu o pleito municipal.

Por que a esquerda venceu no passado e pode ter dificuldades para vencer no ano que vem? Onde estão as diferenças?

Sim, a eleição do ano que vem haverá de ser didática, inclusive. Será um confronto direto, mas que dependerá, diretamente, do desempenho do governador Ratinho Júnior, enquanto governador do Paraná, e do  presidente Jair Bolsonaro, enquanto presidente da República. Se tanto o inquilino do Palácio Iguaçu avançar no compromisso de modernizar o Paraná e o inquilino do Palácio do Planalto tiver sucesso no combate à corrupção e ao crime organizado e equilibrar as contas do governo, no avanço e aprovação das reformas necessárias,  a esquerda pontagrossense não terá a menor chance de uma vitória eleitoral.

E a diferença da eleição do ano que vem em relação a eleições do passado, em que a esquerda se fez presente e até ganhou eleições, está no fato de que, no passado, o eleitor  deu a vitória a um candidato da esquerda, porque queria derrotar  alguém da direita. Em 1976, por exemplo, o eleitor princesino se deixou levar por uma campanha contra o então secretário de Economia, Manoel Marcos Martins, que comandava o processo de industrialização da cidade, na campanha em que seu irmão, o ex-prefeito Cyro Martins, disputava sua volta ao cargo de prefeito. Na oposição, havia as candidaturas de Eurico Rosas e de Luiz Carlos Zuk. E o eleitor, que queria derrotar Cyro Martins – veja só, derrotar o melhor prefeito da História da cidade -, viu que, votando no ex-prefeito Eurico Rosas, não conseguiria seu intento. Desse modo, preferiu o jovem deputado Luiz Carlos Zuk, que fez uma campanha muito popular e ganhou a eleição. Foi a vingança estúpida, porquanto a cidade, seguramente, perdeu.

Mais recentemente, no ano 2000, o vencedor foi o candidato do PT, deputado Péricles de Holleben  Mello. Como explicar que, numa cidade sabidamente conservadora, um candidato do PT pudesse ganhar a eleição?

Naquele ano, o alvo da vez da vingança do eleitor era o prefeito Jocelito Canto. E, para derrotar Jocelito, o único candidato que exibia força para tanto era o candidato do PT. Pois, figuras influentes da comunidade, não pensaram duas vezes para apoiar o deputado Péricles, com o que conseguiram impor uma derrota ao prefeito Jocelito Canto, que disputava a reeleição. Aliás, Jocelito inaugurou o instituto da reeleição. Houve quem se arrependesse depois, porém, como se sabe, o arrependimento vem sempre depois, quando não há mais como consertar.

Assim, no ano que vem, não existe ninguém para ser vingado, ninguém, em especial, para ser derrotado. E, em tal circunstância, com a realidade de hoje, muito dificilmente o candidato da esquerda terá chance de vencer.

2 comentários em “No quê a disputa entre direita e esquerda será diferente no ano que vem, em Ponta Grossa?

  • janeiro 30, 2019 em 22:09
    Permalink

    Concordo em gênero, número e grau: o Engenheiro Cyro Martins foi o melhor prefeito de todos os tempos em Ponta Grossa. Outro notável foi Petrônio Fernal. Medíocres: Péricles e Jocelito.

    Resposta
  • janeiro 30, 2019 em 22:09
    Permalink

    Concordo em gênero, número e grau: o Engenheiro Cyro Martins foi o melhor prefeito de todos os tempos em Ponta Grossa. Outro notável foi Petrônio Fernal. Medíocres: Péricles e Jocelito.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *