Márcio Pauliki reaparece como empresário, mas não pode perder de vista o calendário de 2020

Deputado estadual até o dia 31 deste mês e sem mandato a partir do dia primeiro de fevereiro, Márcio Pauliki já está reassumindo a sua condição de empresário, de grande empresário, anunciando, em parceria com o dono da rede de lojas Havan, Luciano Hang, a construção de um inovador centro comercial em Ponta Grossa. E, a partir de Ponta Grossa, em várias cidades do Paraná e em outros Estados. Ou seja, o empresário Márcio Pauliki retoma o melhor de seu estilo como grande empresário, importante líder empresarial e disposto a gerar emprego e promover o Grupo MM em nova dimensão, nessa associação com o Grupo Havan, outro notável empreendimento do Sul do Brasil, tanto quanto o MM.

Porém, o empresário Márcio Pauliki não pode abandonar a carreira política, que foi iniciada com uma campanha para prefeito, em 2012, e que seguiu com uma candidatura a deputado estadual em 2014, quando conquistou o seu primeiro mandato. Tinha tudo para se eleger deputado federal, naquela oportunidade, que deixou passar. Talvez, hoje, repense decisões tomadas na política, sem o necessário embasamento, levado por circunstâncias equivocadas.

Tendo em vista que a eleição para prefeito da cidade está logo ali, a menos de dois anos, seguramente, o seu nome é visto como uma nova e especial oportunidade. Para tanto, o político Márcio Pauliki precisa tirar o melhor proveito, tanto da derrota havida em 2012, quanto da derrota havida agora em 2018, de modo a crescer, justamente, como político, como líder afirmativo, tão afirmativo como se revelou no mundo empresarial. Precisa, por exemplo, fazer uma reflexão do universo partidário e abandonar, de vez, o equívoco de ter se alinhado em partidos de esquerda e com gente de esquerda, contrariando sua própria formação, que o distanciou, de certa forma, de seu próprio segmento, o empresarial. E o momento é muito propício, pois o País já está passando por uma refundação, por conta do desastre havido pelas esquerdas que estiveram no poder e deixaram a pior herança econômica, social, moral e política. E a oportunidade de se reencontrar com a própria realidade é especial, pois, é preciso também se recompor com o seu próprio segmento profissional e buscar um novo e apropriado abrigo partidário, que tenha o perfil conservador da gente pontagrossense, que não é diferente de seu próprio perfil, que vem de seu berço familiar.

A própria política ensina que é “errando que se aprende”. Basta que se aceite a derrota como fato importante da vida, dela tirando lições e aprendizado, eis que uma derrota eleitoral nunca deixa de ter sido uma valiosa experiência de vida pública, a começar pelo extraordinário aprendizado de Sociologia, que escola nenhuma do mundo oferece, em condições mais avantajadas. Com duas derrotas e uma experiência de quatro anos no Legislativo, o político Márcio Pauliki pode, agora, saber onde e com quem melhor se aconselhar, de modo que busque a opção mais condizente com a sintonia ideológica do meio a que pertence.

É um bom nome para o governo da cidade, com certeza. Pelo preparo pessoal, pela capacidade de visão alargada, pelo hábito de trabalhar a partir de um planejamento. Mas, tudo isso num novo contexto partidário, num novo ambiente político, num reencontro com as origens que lhe oportunizaram a ascensão no mundo empresarial, de onde saiu para incursionar pela experiência de uma vida pública.

Que tem tudo, ainda, para ser promissora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *