fbpx

Plauto quer informações sobre concurso da UEPG para contratação de servidores

O deputado Plauto Miró Guimarães Filho está aguardando respostas a três requerimentos que fez na Assembleia Legislativa para o governo do Estado. O primeiro se refere às obras da trincheira do Jardim Los Angeles, em trecho urbano da PR-151; o segundo é destinado à Secretaria de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, e pede informações sobre recente concurso da Universidade Estadual de Ponta Grossa para a contratação de um pequeno número de servidores/professores; e o terceiro, da semana passada, é dirigido à direção da Codapar a respeito da situação do imóvel da empresa pública, de 78 mil metros quadrados, existente aqui no Distrito Industrial de Ponta Grossa.

São três temas sérios que dizem respeito ao interesse direto da comunidade de Ponta Grossa. Quanto à retomada das obras da trincheira do Jardim Los Angeles há um indicativo de que a coisa já estaria andando, eis que o próprio Plauto fez uma visita ao canteiro – já quase um museu, pelo tempo – de obras, na chegada das máquinas para a retomada dos trabalhos. Essa obra, é bom que se diga, tem oito anos e se prestou, ao longo desse tempo, a eleição e reeleição do ex-governador Beto Richa e eleição e reeleição do prefeito Marcelo Rangel. É que ela só tem andado, mesmo, em tempo de eleição, servindo muito mais para arrumar votos, do que propriamente para atender ao interesse público, seja da população daquela região da cidade, seja do volumoso tráfego de caminhões existente no local, de vez que a PR-151 é uma das ligações de Ponta Grossa com o Brasil, de Sul a Norte, Leste a Oeste.

Quanto ao pedido de informações sobre um concurso havido na UEPG, para contratação de um reduzido número de pessoas, a suspeita é de que a tal contratação tenha acontecido em período de fim de festa, o que não chega a ser novidade, em se tratando do serviço publico. Fim de festa, no caso, seria o fim do mandato do ex-reitor Carlos Luciano Vagas.

Até às denúncias, que geraram a CPI das Universidades, em 2003, sempre achei que as outras universidades estaduais, principalmente a de Londrina e de Cascavel, é que tinham problemas em suas administrações, incluindo afastamentos de reitores. E sempre defendi a UEPG, como sendo um exemplo de austeridade. A partir da CPI das Universidades, que acabou por ser mais um fiasco da Assembleia do que um benefício para a sociedade, não coloco mais minha mão no fogo, nem reafirmo o que dizia no passado.

É de se aguardar, pois, as informações solicitadas pelo deputado Plauto, para se saber, efetivamente, como foi que aconteceu o tal concurso e as pessoas que acabaram sendo nomeadas. Por ora, parece haver apenas uma ligeira suspeita de eventual irregularidade. E, se tudo foi feito de acordo com toda a moralidade administrativa, que as dúvidas desapareçam, então.

Quanto ao terceiro e mais recente pedido, a coisa parece um pouco mais complicada, porque envolveria interesses que poderiam estar muito mais para chamar a atenção do Ministério Público Estadual, do que para eventuais benefícios à comunidade pontagrossense.

Pelo visto, há razões, de repente, para uma espécie de filial da Operação Lava Jato, por aqui…

2 comentários em “Plauto quer informações sobre concurso da UEPG para contratação de servidores

  • dezembro 10, 2018 em 10:36
    Permalink

    Isso mesmo Deputado Plauto tem que ficar cobrando requerimentos pedidos a Assembléia . Parabéns

    Resposta
  • dezembro 10, 2018 em 16:04
    Permalink

    também acho isso Plauto deve cobrar de nossos administradores promessas feitas anteriormente já que é para o bem da população que votou neles, pois e nosso representante.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *