Bolsonaro avisa criminosos que Sérgio Moro, que pescava com vara, agora, será com rede de arrastão

Impressiona a firmeza e a determinação do presidente eleito Jair Bolsonaro em fazer valer o compromisso que assumiu na campanha eleitoral, em questões sérias e sensíveis, como a corrupção e o combate ao crime organizado. As pessoas de bem dizem que até parecem que andam sonhando, diante da reiteração do presidente eleito em cumprir compromissos anunciados na campanha, mormente, o de fazer com que o brasileiro volte a ter orgulho de ser honesto, volte a ter garantia de segurança, volte a ser um cidadão orgulhoso do Brasil.

E todos se mostram convencidos de que, de fato, para uma missão tão desafiadora, Bolsonaro só podia mesmo, mais que convidar, convocar o juiz Sérgio Moro para o Ministério da Justiça, entregando-lhe toda a estrutura possível para que possa oferecer um combate sem trégua aos ladrões do dinheiro público e aos profissionais do crime organizado, que viveram tempos tranquilos, diante de governos omissos e até comprometidos com toda a falta de segurança para a sociedade e o completo desregramento moral na administração pública.

E, sexta-feira, para reafirmar todo esse compromisso, avisou a corruptos, ladrões e criminosos, em sua manifestação pela Internet, que “Sérgio Moro vai pegar vocês”. E para atestar que o futuro ministro Sérgio Moro tem carta branca para o desafio a enfrentar, lembrou que, “em Curitiba, ele pescava com uma vara. Agora, vai pescar com rede de arrastão”.

Nunca se viu, nem se ouviu um presidente da República do Brasil falar com tanta ênfase, coragem e autoridade no combate ao crime organizado, seja de corrupção, de roubo de carga, de tráfico de droga, mesmo sabendo que, nesse universo bandido, tem gente importante, como deputado, senador e outros agentes públicos. Essa ênfase que Bolsonaro dá ao compromisso de servir ao Brasil está enchendo de orgulho quem votou nele. E, seguramente, está produzindo arrependimento em quem votou em branco. Se fosse possível um terceiro turno, os 57 milhões de votos bateriam na casa dos 80, 90 milhões.

Indiscutivelmente, estamos num processo de verdadeira revolução. Os acusadores de Bolsonaro, de que não respeitaria a Constituição, de que caminharia para implantar uma ditadura, devem estar se questionando pelos primeiros passos do presidente eleito, rigorosamente, dentro da Constituição e das leis. Sim, devem estar se questionando e se desesperando, porque um acerto de Bolsonaro significará a decretação do fim dessas esquerdas maledicentes e comprometidas, de uma forma ou de outra, com o mundo da roubalheira e da corrupção em que os últimos governos, especialmente os do PT, transformaram o Brasil.

Aliás, já antevendo falta de razão, o ex-presidente Lula está a admitir que terá “um longo inverno” na cadeia. Sim, o processo do apartamento de cobertura de São Bernardo está pronto para sentença, enquanto o do Sítio de Atibaia, sobre o qual vai depor na quarta-feira, diante da juíza Gabriela Hardt, sem muito espaço para suas negativas, eis que, nesta sexta-feira, Gabriela Hardt interrogou o empresário Léo Pinheiro, da OAS, que afirmou que, para ele, Lula sempre foi o dono do Sítio de Atibaia, onde sua empresa fez obras de reforma, a pedido do próprio Lula. Pelo visto, “longo inverno”, mesmo. De preferência, em local apropriado a um condenado, que não pode continuar sendo a Superintendência da Polícia Federal.

O Brasil, que se orgulha em dizer que Deus é brasileiro, está sendo passado a limpo. Os bandidos começam a enxergar a carreira perdida, e os brasileiros do bem já admitem, o que nunca mais imaginavam, que vale a pena ser honesto, sim. Pela juíza Gabriela Hardt, por Sérgio Moro, por Jair Bolsonaro, pelo Brasil. O novo Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *