fbpx

Ponta Grossa revelou lideranças importantes para as eleições municipais daqui a dois anos

Cada eleição é uma referência para a eleição seguinte. Há os vitoriosos da presente eleição e há um quadro indicador do que possa acontecer na próxima eleição. Ponta Grossa, por exemplo, revelou um quadro animador para as nossas eleições daqui a dois anos para a sucessão do prefeito Marcelo Rangel. De todas as candidaturas, vale destacar o desempenho do vereador Felipe Passos, que, em números redondos, bateu na casa dos cinquenta mil votos. Exatamente, 49.661 votos. Há dois anos, fez 5.992 para vereador e, agora, multiplica por oito e um pouco mais. Dos novos, indiscutivelmente, a maior revelação destas eleições para o pleito der 2020.

Do quadro dos que disputaram a eleição para a Assembleia Legislativa, de princípio, não se vislumbra nenhuma candidatura a prefeito. Os eleitos, Plauto Miró Guimarães e Mabel Canto, ainda que participem lançando ou apoiando candidatos, não exibem pretensões. Plauto pode retomar o caminho para uma cadeira no Tribunal de Contas do Estado, enquanto a jovem Mabel, por estar em seu primeiro mandato, tem tempo suficiente para aguardar eleições mais para a frente, devendo se dedicar a cumprir bem esse mandato para se garantir na reeleição em 2022 e, a partir daí, então, se encontrar em condições para disputar a Prefeitura Municipal, num sonho, quem sabe, de buscar o mesmo caminnhar que o pai já fez. Aliás, o pai foi deputado e prefeito. Assim, já repete o primeiro passo de Jocelito Canto.

Do quadro dos que disputaram a Câmara Federal é que estão as revelações mais significativas para o confronto de 2020. Pelo menos, quatro nomes com expressivas votações, a começar pelo campeão dessa corrida, o deputado Sandro Alex, com seus 124.512, seguido do também deputado Aliel Machado, com 95.326, e, aí, dos que não se elegeram, mas não fizeram feio, como o deputado estadual Márcio Pauliki, com 67.125, e o vereador Felipe Passos com seus 49.661.

Desses quatro, seguramente, haveremos de ter, curiosamente, quatro candidatos a prefeito. O deputado Sandro Alex não deve ter projeto de uma segunda candidatura a prefeito, mas, ao lado do prefeito Marcelo
Rangel, seu irmão, deve buscar um nome competitivo. E, aí, os outros três, com certeza, se apresentarão ao eleitorado. Neste caso, vale registrar a votação de cada um deles, aqui na cidade, o que ajuda a medir o prestígio local. Sandro com 35.8775; Aliel com 25.937; Felipe com 25.650 e Márcio com 25.024. Afora o campeão, na votação local também, Sandro Alex, interessante o fato de os outros três terem se mantido na casa dos 25 mil, com destaque especial para Felipe, eis que, como vereador, bateu de frente com um deputado estadual, Márcio, e um federal, Aliel, ficando entre Aliel e Márcio. Belo feito.

Também vale considerar a boa votação, para deputado estadual, dos três melhor colocados, nas respectivas suplências, como o deputado Péricles de Holleben Mello, com 27.397 votos, o médico e vereador Dr. Zeca, com 26.887, e o ex-reitor João Carlos Gomes que fez uma bonita votação, com seus 24.014 votos,

Desses, temos que o deputado Péricles deve, de novo, apoiar uma segunda candidatura a prefeito do deputado Aliel Machado, enquanto o vereador Dr. Zeca pode compor, na condição de vice, uma outra chapa, talvez, encabeçada pelo deputado Márcio Pauliki. Quanto ao professor João Carlos Gomes, não se conhece pretensões políticas para o Executivo, embora, tenha sido executivo, por três mandatos, como reitor da UEPG.

Em resumo, temos bastante a comemorar. Sem conhecermos, ainda, possíveis novas revelações de nomes que haverão de se apresentar. O que vitamina o nosso quadro de composição política.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *