fbpx

Ponta Grossa fez o dever de casa e pode comemorar o resultado das eleições de ontem

Ponta Grossa pode, sim, comemorar as suas conquistas nas eleições de ontem. Se mais não pode fazer, ao menos, se manteve nos patamares atuais de sua representação política, tanto em Curitiba, quanto em Brasília, preservando suas duas cadeiras nas respectivas casas legislativas. Mas, fez mais, eis que garantiu quase o mesmo índice proporcional da votação vitoriosa do candidato a governador no Estado, porquanto, aqui destinou 61 por cento de seus votos  – 97 mil -, enquanto Ratinho Júnior, no Paraná, fez, em números redondos, 60 por cento. Bela contribuição, portanto. E, também, marchou, com passos firmes, ao lado da primeira colocação do candidato Jair Bolsonaro no Paraná, com seus 3,5 milhões de votos, contra 1,2 milhão ao candidato petista, Fernando Haddad.

É importante registrar que o prefeito Marcelo Rangel, o deputado federal Sandro Alex e o deputado estadual Plauto Miró Guimarães Filho estiveram ao lado do governador eleito Ratinho Júnior, desde o momento em que Ratinho manifestou o desejo de se candidatar a governador. Esse apoio provocou, por exemplo, a saída do deputado Sandro Alex do PPS para ingressar no PSD, do próprio Ratinho, e um conflito do deputado Plauto Miró Guimarães com o seu partido, o DEM, tendo, inclusive, anunciado o seu desligamento do partido, o que só não aconteceu porque a direção do DEM acabou por respeitar a posição de um de seus principais deputados. Assim, enquanto o DEM apoiou a candidatura à reeleição da governadora Cida Borghetti, Plauto se manteve fiel ao deputado Ratinho Júnior. Esses dois casos contam pontos, o que significa que a cidade passa a ter dois deputados com trânsito livre no Palácio Iguaçu, a partir de primeiro de janeiro.

Aliás, dois deputados, não, eis que, agora, uma jovem saiu consagrada das urnas e também vai compor esse grupo de apoio de deputados ao governo de Ratinho Júnior. Seu nome, Mabel Canto, filha do apresentador e ex-deputado Jocelito Canto, do mesmo PSD do governador eleito. Por sinal, a eleição de Mabel merece ser saudada como demonstração de prestígio de seu pai, o apresentador Jocelito Canto, que, mesmo tendo tomado a decisão de não mais disputar eleição, sempre desejou lançar a filha Mabel na política. Há dois anos, houve um ensaio de Mabel em ser lançada à Câmara de Vereadores, mas como havia o desejo de candidatura de Paulo Roberto Balansin, amigo e parceiro de Jocelito, prevaleceu a decisão de apoio ao nome do amigo e parceiro, ficando a vez da filha para a próxima eleição, essa de domingo agora. Por conseguinte, além dos méritos próprios de Mabel, é forçoso registrar a força eleitoral de seu pai, que haverá de ser um orientador importante ao longo do mandato da filha.

Logo, na Assembleia Legislativa do Paraná, Ponta Grossa estará com duas cadeiras, tendo perdido a terceira pelo fato de o deputado estadual Márcio Pauliki ter preferido disputar uma cadeira na Câmara Federal, que acabou não tendo êxito, seguramente, por não ter aprendido que, em política, como em carreira de cavalo, costuma-se dizer que “a gente ganha, no atar”. E Pauliki não soube “atar’ a sua carreira.

Ainda sobre a Assembleia, tivemos a surpresa da saída do deputado Péricles de Holleben Mello, que não conseguiu se reeleger, mesmo tendo seu partido, o PT, ocupado uma cadeira a mais. Fará falta a cidade, fará falta à própria Assembleia, por ser um deputado combativo e preparado.

Quanto a Câmara Federal, a reeleição do deputado Sandro Alex já era aguardada, valendo o registro de sua expressiva votação, como quinto mais votado do Estado. E a surpresa, positiva, pode-se dizer, foi a reeleição do deputado Aliel Machado, que, tendo deixado o PCdoB e a Rede e se transferido para o PSB, imaginava-se que correria risco. Entretanto, está demonstrado que Aliel mudou de partido, mas não mudou de posição, permanecendo fiel às suas bases eleitorais, tendo podido, inclusive, reeditar a dobradinha com seu padrinho, o deputado estadual Péricles de Holleben Mello. Se o padrinho não conseguiu se reeleger, o afilhado fez um bonito papel, reelegendo-se com méritos para um segundo mandato.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *