fbpx

Debate de hoje é um batismo de fogo para os “terceirizados”, Cida e Arruda

A Band Paraná faz, hoje, a partir das 22 horas, o primeiro debate da campanha eleitoral para o governo do Estado. Um evento importante, eis que será o primeiro embate público dos aspirantes ao Palácio Iguaçu em que precisarão revelar ao eleitor a razão de cada candidatura. Dos dez candidatos, seis apenas participarão do encontro, porque seus respectivos partidos se enquadram na exigência legal de possuir, ao menos, cinco parlamentares no Congresso Nacional. Dos dez candidatos e dos seis  debatedores, a campanha exibe três que, de fato, estarão na disputa, a governadora Cida Borghetti, o deputado estadual Ratinho Júnior e o deputado federal João Arruda, por sinal, os três melhor colocados na pesquisa da IRG/Bem Paraná, divulgada ontem, Ratinho com 45%, Cida com 20.2% e Arruda com 7.1%.

Esses números favorecem a tendência de que a eleição no Paraná será decidida no primeiro turno. E, numa tentativa de evitar que isso aconteça, é possível que surjam novidades na campanha “terceirizada” da governadora Cida Borghetti, cujo comandante-em-chefe é o seu marido, o deputado federal Ricardo Barros. E a novidade estaria na possibilidade de um apoio

à candidatura à reeleição do senador Roberto Requião, com uma consequente desistência de João Arruda. Acontece que os números da pesquisa atropelam a tendência de apoio à candidatura de Ratinho Júnior de boa parte de integrantes da coligação que apoia Cida, especialmente, deputados do PSDB e do DEM, sob a liderança do ex-governador Beto Richa, que também estaria para vestir a camisa da campanha de Ratinho. Aliás, o apoio de Beto à candidatura de Cida sempre soou como algo forçado, eis que, na verdade, essa candidatura é muito mais do marido da Cida, o deputado Ricardo Barros, do que propriamente da própria Cida, que nunca demonstrou vocação para esse projeto. Assim, ela está nesse processo, na condição de “terceirizada”.

Aliás, diante dos números da pesquisa e a evidência do favoritismo de Ratinho Júnior, partidários de Cida passaram a propalar que ela estava com 5 e pulou para 20%, um salto de 432%, querendo fazer crer que ela pode repetir esse feito nas próximas sondagens. Ou seja, o cem por cento será pouco, porque mais um salto de 432% o cem por cento ficará para trás.

O outro terceirizado é o deputado federal João Arruda, sobrinho do senador Roberto Requião, que esperava se valer do palanque do ex-senador Osmar Dias. Como Osmar desistiu da campanha, uma vez que nunca foi líder, Requião que sabe que é muito mais fácil sua volta ao Senado do que ao Palácio Iguaçu, improvisou a candidatura do sobrinho a governador. Mas, de repente, um apoio do deputado Ricardo Barros será muito –bem-vindo, podendo mesmo ser decisivo para a permanência de Requião em Brasília.

É claro que a pesquisa do IRG/Bem Paraná é, apenas, a primeira pesquisa, mas ela confirma, desde logo, a tendência do que parece natural nesta campanha, com o favoritismo do deputado Ratinho Júnior, que promete ser a estrela do debate de hoje.

E essa campanha faz lembrar a de 86, quando o senador Álvaro Dias passeou pelo Paraná, na disputa com o deputado federal Alencar Furtado, elegendo-se governador, com um pé amarrado nas costas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *