Lula quer ser julgado pelo STF, por estar lá toda a sua esperança

O PT, tido e havido como organização criminosa, pelo conjunto da obra de seus governos e pelo descalabro da roubalheira do dinheiro público, está em luta aberta contra todos que se levantarem a favor da condenação de Lula e, de maneira particular, em favor de sua prisão. Lula perdeu em Curitiba, perdeu em Porto Alegre, já teve uma derrota em Brasília,

mas nada disso preocupa o PT, que aposta todas as suas fichas no Supremo Tribunal Federal. É que lá estão, dos onze ministros, sete que foram nomeados por Lula e por Dilma. Só não estão nessa lista os ministros Celso de Mello, nomeado por José Sarney, Marco Aurélio de Mello, nomeado pelo primo Collor de Mello, Gilmar Mendes, nomeado por FHC, e Alexandre de Moraes, nomeador por Michel Temer.
Como o PT não tem limites para fazer valer seus projetos e seus propósitos, as ações que estão sendo desenvolvidas para livrar Lula da cadeia, como prescreve decisão do STF para condenados em segunda instância, miram o Supremo Tribunal Federal. E, em especial, a segunda turma do STF, formada pelos ministros Edson Fachin, relator da Lava Jato, Celso de Mello, Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski. É que, nessa segunda turma, reside o perigo maior da insegurança jurídica do País, porquanto os ministros Dias Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski fazem a maioria. Se couber uma decisão sobre o futuro de Lula a essa segunda turma, Lula não irá para a cadeia. E, aí, não apenas Lula, como todos os demais bandidos, ladrões, traficantes, assassinos que forem condenados em segunda instância, pela precedência que será inaugurada. Não custa lembrar que o ex-ministro José Dirceu anda apostando nessa confusão toda, para não voltar para a cadeia, porquanto já foi condenado também no mesmo TRF-4, que aumentou a pena de Lula de nove anos e seis meses para doze anos e um mês de cadeia.
Diante da evidência do proceder da maioria dos ministros da segunda turma, o ministro Edson Fachin já preferiu levar assunto de sua lavra para uma decisão do plenário do STF. Toffoli e Lewandowski foram nomeados por Lula e Gilmar Mendes por FHC. Acontece que Gilmar Mendes deu uma guinada de 360º e se alinhou aos dois afilhados do líder petista, condenado por corrupção ativa e lavagem de dinheiro.
Os advogados de Lula estão queimando etapas, propositadamente, para bater às portas do STF. E, no STF, a petição que fizerem em favor de Lula cairá nas mãos do ministro Edson Fachin, por ser ele o relator dos processos da Lava Jato. Se dependesse só de Fachin, Lula não teria chance alguma de evitar seu caminho para a Penitenciária de Pinhais. Porém, se a decisão pertencer a segunda turma, é praticamente certo que o ex-presidente vai cantar vitória, pouco se importando de ter sido o causador da desmoralização e do apequenamento do STF. Isso, contudo, não deve ocorrer, porque, dadas circunstâncias de passado recente, o ministro Edson Fachin não vai se permitir a cair em nova armadilha da maioria formada na segunda turma, invocando o plenário para julgar decisão que lhe tenha pertencido.
A República, nem de longe, poderia estar vivendo uma expectativa de tamanha natureza. Acontece, porém, que, se o PT passou a ser visto como uma organização criminosa, vale considerar que essa organização criminosa teve fundador, orientador, chefe. Um deles, o mais pensante, já foi condenado e preso, mas encontra-se em liberdade, porém, prestes a voltar a cadeia, que é José Dirceu. O outro, o líder maior da organização, já condenado na primeira e segunda instâncias, está em condições de também ir para a cadeia. Só que está abusando do direito de espernear, o “jus sperneandi”, apostando em envolver, no seu mundo do crime, a Suprema Corte do Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *