O PT, que quebrou o País, agora critica e desafia o Poder Judiciário

Petista, para ser petista, não pode ter senso de razão. As entrevistas da “Folha” com os senadores Lindberg Farias, líder do PT no Senado, e Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT, indicam um assombro à normalidade do ser humano, desse ser humano que foi criado e formado na vida em sociedade. Desse ser humano, que, nascido numa sociedade democrática, aprendeu que é preciso respeitar as leis
e os poderes da Democracia, como o Poder Executivo, o Poder Legislativo e o Poder Judiciário. Mas, petista, que é petista, só respeita o poder e as leis que lhes são convenientes. Fora disso, tudo é golpe.
Os petistas são incapazes, por exemplo, de admitir e de reconhecer que, em seus quatro períodos de governo, patrocinaram o maior esquema de corrupção na História do Brasil. Ou seja, roubaram e deixaram roubar o dinheiro público, e nem, sequer, tratam de discutir esse assunto, porque não lhes convém, não lhes interessa. E não apenas deixam de abordar esse tema, como se imaginam no direito da impunidade. Endeusam o seu principal líder e, agora, se voltam, com toda a intensidade, contra o juiz de Primeira Instância, Sérgio Moro, que condenou o ex-presidente Lula a nove anos e seis meses de cadeia, e esbravejam contra a decisão sábia e firme dos três desembargadores do TRF-4 – João Pedro Gebran Neto, Leandro Paulsen e Victor Luiz dos Santos Laus – que, não apenas ratificaram a sentença do juiz Sérgio Moro, como aumentaram a pena para doze anos e um mês de cadeia a Lula. Tais desembargadores se revelaram grandes e equilibrados técnicos do Direito, enfatizando o forte conjunto de provas dos crimes praticados por Lula. Em suas exposições, todos os três desfizeram, com argumentação convincente, os argumentos da defesa, especialmente, a parte que gosta de acusar o Poder Judiciário de estar cometendo um ato de perseguição política ao ex-presidente. Aliás, a senadora Gleisi Hoffmann, que falou em “matar gente” se forem prender Lula, agora acusa os três desembargadores de terem combinado o voto, pela condenação a Lula. E, se apresentando como porta-voz do STF, assegura que o Supremo vai restabelecer a “ordem natural” das coisas, ao impedir a prisão de Lula.
O TRF-4, na decisão que tomou na histórica sessão da quarta-feira da semana passada, dia 24, engrandeceu o Poder Judiciário do Brasil, muito além do que tem feito o Supremo Tribunal Federal, que, por sinal, tem sido a fonte da insegurança jurídica no País. Dissemos, aqui mesmo, se o caso da semana passada dependesse de decisão do STF, seguramente, o brasileiro não estaria orgulhoso do Poder Judiciário, como está, agora, pelo proceder do TRF-4. E é, nesse grau de insegurança jurídica, que a senadora Gleisi Hoffmann e, assim, todos os demais petistas apostam, no instante que o caso chegar ao Supremo Tribunal Federal. Lula vai colocar a Suprema Corte contra a parede. Diante do Brasil e do Mundo.
Toda essa cruzada de vitimização de Lula e de desfazimento da autoridade do Poder Judiciário, pelas principais figuras do PT, a partir do próprio Lula, desservem a democracia, inquietam a sociedade nacional e desqualificam o dever da moralidade no exercício da função pública.

Comente