Ao contrário de viajar para a Rússia e Noruega, Temer deveria ter ido para casa

 
A entrevista do empresário Joesley Batista à revista Época é um acontecimento sério, que deveria ter inibido o presidente Michel Temer de qualquer viagem ao Exterior, eis que, na condição de acusado de chefiar a “mais perigosa quadrilha” do Brasil, no contexto do mundo da corrupção, Temer se apresentará com a imagem esgarçada da autoridade presidencial. É claro que Michel Temer forçou a viagem para não valorizar o fato novo dessa entrevista. Entretanto, o grave, nisso tudo, é que Temer não governa mais; quando muito está a se valer da estrutura do poder para promover sua defesa pessoal na manutenção do cargo de presidente da República, a qualquer preço. Perdeu autoridade, perdeu o respeito das pessoas, perdeu a credibilidade.
O Brasil não vai suportar os efeitos de tudo o que já foi revelado de Michel Temer e de seu governo e das ações prometidas por seus aliados deputados federais que, sequer, querem conhecer o conteúdo da entrevista do empresário e a prometida denúncia do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra Temer, estando anunciando por antecipação que derrubarão a denúncia, na Câmara dos Deputados. Não há nisso tudo a menor evidência de senso de responsabilidade pública, de zelo pelas coisas da Nação, de cuidado com a administração federal. É que, de repente, o que importa é o futuro do presidente Michel Temer e não o do Brasil.
A cada dia que passa, mais se firma a condição de falta de estatura moral do político Michel Temer para estar e continuar no cargo de presidente da República. É preciso que se considere o fato de Temer, há mais de um ano na Presidência da República, não ter tido a capacidade de se fazer diferente no exercício da alta função portando-se com dignidade irrepreensível. Mas, a despeito de tudo o que se deu com sua colega de chapa, a ex-presidente Dilma Rousseff, Temer deu continuidade aos malfeitos na administração pública, desconsiderando a profundidade e a seriedade do trabalho da Operação Lava Jato, que caminha para completar o seu quinto ano de atividade. Ou seja, em março deste ano, com o circo pegando fogo durante o dia, ele aparece vendendo ingressos para a sessão noturna do circo. Só ele não sabia que não haveria sessão noturna. Não lhe cabe a medida de homem ingênuo. O conteúdo da gravação da conversa com Joesley Batista, lá de março, indica que Temer perdeu todas as condições pessoais para se manter no comando do governo.
Temer, além de desmerecer a República e comprometer suas instituições, não tem mais nada a fazer em favor do Brasil – se é que algum dia teve -. vale o exemplo da escandalosa e vexatória decisão dos quatro ministros do Tribunal Superior Eleitoral que o inocentaram e, assim a Dilma Rousseff também, da acusação de prática criminosa na campanha eleitoral de 2014.
E Michel Temer, sem o menor constrangimento, está transformando o ex-presidente Lula, de repente, num ladrão de galinha. Não se chega a tanto, mas Lula e seu povo estão a festejar. Afinal, eram os únicos bandidos; não são mais.
 
 

Comente