As máquinas voltaram a Carlos Cavalcanti; o problema está no “puxadinho”

 
As máquinas estão de volta na Avenida Carlos Cavalcanti, num indicativo de que, agora, a revitalização da principal via do Bairro de Uvaranas acontecerá em toda a sua extensão. A última intervenção havida na Carlos Cavalcanti foi no governo do prefeito Péricles de Holleben Mello, que restabeleceu o canteiro central, que, agora, deve ser retirado, de novo, porque, revitalizada, a Carlos Cavalcanti será mão única, no sentido centro-bairro, até a altura da Rua José Carlos Rodrigues. Hoje, ela tem sentido único, no mesmo sentido, até o chafariz, obra do governo do prefeito Jocelito Canto. Para quem vem do bairro, naquela altura, segue pela Avenida Dom Geraldo Pellanda.
O problema que se anuncia está no tal “puxadinho” do último governo do prefeito Pedro Wosgrau Filho, com a tal rua aberta no terreno do quartel do 13º Batalhão de Infantaria Blindada. Pedro, que sempre chamou de “puxadinho” as obras mal feitas de seus antecessores, havia de marcar sua passagem pela Prefeitura, não com um, mas com dois “puxadinhos”, pelo menos, esse esquisito trecho para servir de alternativa da Carlos Cavalcanti e a tal Arena, que merecia ter tido uma ação popular, por ter sido construída em local inadequado, com erros de projeto e quase virando uma obra de fim do mundo, pela dificuldade em ter sido concluída. Iniciada em seu segundo governo, passou pelo seu terceiro governo, continuou pelo primeiro governo de Marcelo Rangel para ser entregue, agora, em janeiro, no início do segundo governo do atual prefeito.
Aquele trecho que é para ser uma alternativa do tráfego da Carlos Cavalcanti representa muito mais um problema do que uma solução. Aliás, o ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho teria feito muito mais pela cidade se não tivesse retornado à política. E, claro, se o povo não tivesse lhe conferido o voto para um segundo governo, com base do bem sucedido primeiro governo, e, o que é pior, um terceiro, na esperança de que concluísse as obras iniciadas e não terminadas do segundo. Como esse trecho alternativo da Carlos Cavalcanti.
Esse trecho tem um cruzamento enviesado com a Pereira Passos e um acesso, em forma de cruzamento, esquisito com a Dom Geraldo Pellanda. Pedro, nos seus dois últimos governos, parece ter pedido a noção de um elementar planejamento urbano. A obra da Arena, que era para ser um vistoso complexo esportivo, tem uma localização condenável, que qualquer estagiário de Urbanismo não aprovaria. Sem que haja diferença no que fez para ser uma alternativa de tráfego da Carlos Cavalcanti.
Pelo volume do tráfego, seguramente, haverá muitos problemas, com riscos evidentes de possíveis acidentes nos tais cruzamentos, tanto da Pereira Passos, quanto na Dom Geraldo Pellanda.
Homenagem, pois, de Pedro Wosgrau a cidade com seus “puxadinhos”.

Comente