Péricles, símbolo do PT e da esquerda, está à procura de um candidato a prefeito

O deputado Péricles de Holleben Mello foi candidato a prefeito em quatro oportunidades, tendo vencido, apenas, numa delas. Das quatro, competiu em três, porquanto a primeira foi em 1982, quando o PT engatinhava na política brasileira. E Péricles, fundador do PT nacional, colocou a sua juventude a serviço do partido, candidatando-se para anunciar que o PT existia. Sem chances de participar da disputa, propriamente dita, Péricles cumpriu o ritual da campanha para divulgar o partido, para propagar as ideias do partido, para motivar a pequena, mas já aguerrida, militância.
Vereador em 88 e reeleito em 92, Péricles se elegeu deputado estadual em 94, candidatando-se a prefeito, agora já para competir, de fato, em 96, confrontando-se com seu colega de Assembleia Legislativa Jocelito Canto, que ganharia a eleição.
Em 98, se reelegeu deputado estadual, voltando a disputar a Prefeitura Municipal em 2000, quando, então, suplantou seu principal adversário, o prefeito Jocelito Canto, que fazia a estreia como primeiro prefeito a ter o direito de disputar uma reeleição. A vitória de Péricles, do PT, foi um acontecimento na sociedade conservadora de Ponta Grossa. Mas, no confronto direto, muita gente não queria renovar o mandato de Jocelito, preferindo, então, sufragar o nome do candidato do PT.
Na sua reeleição, Péricles perdeu para o ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho, que viria a ser o primeiro a renovar seu mandato, dentro do período do instituto da reeleição, com o que acumulou três históricos mandatos à frente do governo municipal, superando, com vantagem, o saudoso prefeito Juca Hoffmann, que, até então, havia sido o único a governar a cidade, por uma segunda vez.
Mas, Péricles voltou a se eleger deputado estadual em 2006, se reeleger em 2010 e, de novo, em 2014. Ou seja, Péricles foi vereador duas vezes, prefeito uma e está em seu quinto mandato de deputado estadual.
Encerradas as eleições do ano passado, anunciou que não disputaria mais sucessão municipal e que seu candidato a prefeito, em 2016, seria o jovem recém-eleito deputado federal Aliel Machado, seu discípulo, amigo e companheira de esquerda. Tanto, assim, que Péricles recomendou ao PCdoB a entrega de seu comando a Aliel, que, candidato a vereador, coligado com o PT, ganhou a eleição em 2012, elegendo-se presidente da Câmara Municipal e, no ano passado, com o apoio de Péricles e do empresário Márcio Pauliki, candidato a deputado estadual, pelo PDT, foi eleito deputado federal. E, na condição de deputado, há questão de setenta dias, trocou o PCdoB pela Rede Sustentabilidade, da ex-senadora Marina Silva.
Diante desse fato novo, hoje, o deputado Péricles de Holleben Mello está sem candidato a prefeito, porque o PT jamais apoiará um candidato da Rede. Como a opção foi de Aliel, Péricles se mantém fiel ao PT e ao aliado PCdoB, de todas as eleições.
Aliás, Péricles estaria desenhando um projeto de esquerda, reunindo o PT, o PCdoB, parte do PMDB e parte do PDT para organizar uma frente de esquerda, que pudesse apresentar um candidato a prefeito, de consenso. Se essa frente se viabilizar, o candidato a prefeito dessa frente será o seu candidato. Se a frente não se viabilizar, ele se disporia a mobilizar o PT na busca de um nome para ser o candidato do partido na sucessão municipal. Ou seja, o PT, pelas mãos de Péricles, não estará ausente do processo eleitoral do ano que vem. Estará presente, em palanque diferente do candidato Aliel Machado.
Eis um fato novo para 2016.

Comente