Plauto, maduro e experiente, pode aproveitar 2015 para a campanha de 2016

Na política, como, de certa forma, em tudo na vida, as coisas acontecem na hora certa. E o panorama da política pontagrossense, com vistas ao processo da sucessão municipal em 2016, parece apontar para uma nova candidatura do deputado Plauto Miró Guimarães Filho para a Prefeitura Municipal. Aliás, é o grande sonho de Plauto e viria até para coroar sua bem sucedida carreira de completos 24 anos de Assembleia Legislativa, o que é um recorde na história política de Ponta Grossa, eis que, antes dele, nenhum outro político destas paragens dos Campos Gerais conseguiu feito semelhante. E é bom lembrar que, em 2015, Plauto inicia o seu vigésimo quinto ano, como deputado estadual, dando início ao seu historio sétimo mandato consecutivo.

Com a experiência de doze anos como deputado de oposição, nos três governos de Roberto Requião, e outro tanto como deputado de situação – oito anos com Jaime Lerner e quatro com Beto Richa -, além de um novo período de mais quatro como situação, Plauto acumula um apreciável currículo de vida política, que o recomenda muito bem para uma disputa pelo governo de sua cidade.

Plauto, vale lembrar, foi candidato em 96, na metade de seu segundo mandato de deputado estadual, concorrendo com dois colegas de Assembleia, de primeiro mandato, Jocelito Canto e Péricles de Holleben  Mello.

Visto como integrante do grupo do ex-prefeito Pedro Wosgrau Filho, que havia eleito Paulo Cunha Nascimento para prefeito e cujo governo acabou tendo um processo de desgaste político, Plauto pagou o preço de tudo isso, pois se colocou na contramão da história, pois naquele momento o povo pedia renovação. E, aí, quem melhor desempenhou o papel da bandeira de renovação foi o jovem radialista e deputado Jocelito Canto. Que, quatro anos depois, viria a perder a reeleição para o deputado Péricles de Holleben Mello, por conta do mesmo apelo populatr.

Vinte anos depois, é bem possível que o cavalo se apresente encilhado para uma nova candidatura do deputado Plauto Miró Guimarães, que, à primeira vista, reúne excepcionais condições para compor uma grande aliança política, em torno de seu projeto de governo, começando, por exemplo, pelo deputado eleito Márcio Pauliki, do PDT, que, por sinal, já esteve junto com Plauto na eleição do vereador Sebastião Mainardes Júnior, braço direito de Plauto, para a presidência da Câmara Municipal. E, nessa linha, podemos imaginar o PSDB, o PMDB, PTB, PTN, PSB, PSC. Uma grande aliança de oposição ao governo do prefeito Marcelo Rangel, do PPS.

Se há vinte anos atrás, Plauto pediu a Paulo que não o apoiasse,  por não querer se contaminar com o desgaste político do prefeito da época, deve, na nova candidatura, ficar bem distante do atual governo, porque o desgaste de agora é infinitamente maior do que o desgaste do prefeito de 96.

As circunstâncias da realidade do cenário político que se apresenta neste final de 2014 e início de 2015 estão a favorecer uma candidatura do deputado Plauto, pelo seu equilíbrio, pelo seu longo aprendizado, pela sua boa experiência e pela sua sabida competência de articulação política. Mais, pelo conhecimento que acumulou dos problemas e necessidades de Ponta Grossa.

Parece ser um dos nomes mais prontos e acabados para ser o próximo governante da Princesa dos Campos. E o tempo de trabalhar essa candidatura é 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *