É tão chocante a corrupção na Petrobrás, que as pessoas se indagam se tudo é verdade

Diante do descalabro do que está a se ver do que foi feito – e que talvez até continue sendo feito – na Petrobrás, que as pessoas se indagam se, de fato, tudo o que está divulgado é verdade. Acontece que a roubalheira instalada na Petrobrás, mais que ser o maior escândalo de corrupção do Brasil, pode se alinhar entre os grandes casos do mundo. Os petistas, com Lula e Zé Dirceu à frente, combatiam a privatização das empresas públicas no governo de Fernando Henrique Cardoso, acusando FHC de querer, inclusive, privatizar a Petrobrás, com uma defesa enfática de a Petrobrás ser mantida como empresa pública. E que esse, inclusive, era um dos grandes compromissos da campanha de Lula à Presidência da República. Parece não haver exagero em se afirmar que a defesa enfática da preservação da Petrobrás, como empresa pública no governo do PT, por uma ironia da vida, não continha nada de patriótico, mas tudo de interesse inconfessável.. Sim, pois, diante do que está sendo revelado, o processo da roubalheira começou no primeiro governo de Lula, se estendeu ao longo do segundo governo e continuou nesse primeiro governo de Dilma. E Lula, que parece ter desaparecido do mapa, nunca soube de nada, da mesma forma, como Dilma também nunca soube de nada, ainda que tenha sido ministra das Minas e Energia, presidente do Conselho de Administração da empresa e chefe da Casa Civil de Lula. E, claro, presidente da República.

O senador Aécio Neves disse, na segunda-feira, que a presidente Dilma deveria pedir desculpa à Nação. O pedido de desculpa à Nação deveria começar com o ex-presidente Lula, aí com Dilma e, para completar, do próprio PT. O crime contra a Nação merece ser classificado de hediondo, primeiro pela sua concepção, depois pela sua duração e, por fim, pela sua extensão e profundidade. Seguramente, o envolvimento é de um número de figuras, tidas até há pouco como ilustres, muito maior do que já tenha sido revelado. E também não haveria exagero, nem precipitação, em se considerar que tudo o que já tenha sido dito e revelado está beirando a figura do ex-presidente Lula, com alguma possibilidade de bater às portas do Palácio do Planalto. Não fora assim e o discurso da presidente Dilma, tanto na campanha de reeleição, quanto agora, não seria dissonante com o proceder de sua bancada de sustentação política no Congresso Nacional. Se o discurso da campanha de combate à corrupção – “doa a quem doer!” – guardasse um pouco de seriedade, deputados e senadores da base do governo não estariam criando dificuldades para um avanço nos trabalhos da CPMI. O Brasil não merecia tamanha traição, da mesma forma, como o povo brasileiro não merecia ter sido enganado, na forma que foi, no curso da campanha eleitoral deste ano. Uma campanha que já guarda lugar de destaque na História Política do Brasil, pela sua sordidez, perpetrada pela campanha da reeleição da presidente Dilma Rousseff, que, conforme o prometido, foi “feito o diabo” para a conquista da vitória. E como Lula, Dilma e o PT sabiam que o diabo era feio, nem de longe, poderiam permitir que um governo de oposição se instalasse no Palácio do Planalto.

Se Lula, Dilma e o PT queriam preserva o dia deles, vê-se, agora, que o diabo está, sim, se apresentando para Lula, Dilma e o PT. Pouca coisa já foi revelada do que fizeram na e com a Petrobrás. E essa pouca coisa está sendo suficiente para atormentar Lula, Dilma e o PT. A evolução disso haverá, sim, de apresentar o diabo, por inteiro, para Lula, Dilma e o PT.

E, aí sim, estará sendo mudada a relação do Poder Público com a Sociedade Brasileira.

Um comentário em “É tão chocante a corrupção na Petrobrás, que as pessoas se indagam se tudo é verdade

  • novembro 19, 2014 em 15:18
    Permalink

    Análise lúcida.
    Em tempo: Se a PETROBRÁS já tivesse sido privatizada, não teríamos de suportar isso tudo. Além da roubalheira toda (imaginem, um simples Gerente se dispõe a devolver nada menos de 97 milhões de dólares!), a empresa estaria gerando mais impostos, como a VALE.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *