Governo de Marcelo Rangel asfixia entidades assistenciais

O governo do prefeito Marcelo Rangel está se constituindo no maior algoz das entidades assistenciais. O vereador Júlio Kuller, que teve o apoio das entidades na campanha eleitoral de 2012, agora, na condição de secretário municipal da Assistência Social, parece distante dos problemas das entidades, sendo visto mesmo como avalista do prefeito nas dificuldades que estão sendo impostas, notadamente, no atraso dos repasses estabelecidos nos convênios firmados. De vereador aliado das entidades passou a secretário omisso, em relação às mesmas entidades. Medíocre, acrescento eu.

No início de outubro, um grupo de dirigentes de entidades assistenciais esteve com o prefeito, em seu gabinete, e ouviu dele que, a partir do dia seguinte, iria regularizar o repasse do mês de agosto. E que, no dia 15, faria o repasse de setembro. Repasse financeiro para o pagamento dos funcionários dessas entidades, conforme o estabelecido no convênio entre o Município e cada uma de tais organizações sociais. Hoje, é dia 22 de outubro, e o repasse prometido não aconteceu.

Dirigentes de entidades já falam em organizar um protesto, diante do risco de situações agravantes, pelo atraso no pagamento de seus funcionários. Há o risco, inclusive, do fechamento de entidades. Aliás, há dirigentes anunciando que irão procurar a juíza da Vara da Infância e da Juventude, para relatar o que está ocorrendo e anunciar, inclusive, o encerramento das atividades das entidades que dirigem. Em outra ponta, há quem esteja anunciando a disposição de levar denúncia ao Ministério Público, pelo descumprimento do convênio assinado.

Se o prefeito teve problemas de caixa no primeiro ano de seu governo, por conta de eventuais dificuldades criadas pelo governo anterior, já era tempo de ter colocado a casa em ordem, para honrar os compromissos assumidos, notadamente, com nossas entidades assistenciais, que prestam, como se sabe, um notável e extraordinário serviço à comunidade. E essas entidades celebram, a cada ano, um convênio com o Município, por cujo contrato o Município se compromete a repassar recursos financeiros para o pagamento de um determinado número de funcionários de cada uma das entidades conveniadas. Com o atraso desse repasse, essas entidades vivem um desespero, por não possuírem uma fonte de renda que lhes assegure compensar a irresponsabilidade do governo municipal. E do próprio prefeito. E, assim também, do secretário da Assistência Social.

Como é preciso denunciar, porque as entidades estão ao desamparo, fica o registro da irresponsabilidade do prefeito Marcelo Rangel, que, no rádio, continua administrando a cidade virtual, enquanto a cidade real padece de sua incompetência, despreparo e irresponsabilidade.

Um comentário em “Governo de Marcelo Rangel asfixia entidades assistenciais

  • outubro 24, 2014 em 02:27
    Permalink

    Graças a Deus temos você Adail para divulgar o que realmente vem acontecendo, o descaso com que temos sido tratados.
    Realmente uma rádio é bem mais facil de administrar…

    Resposta
    • outubro 24, 2014 em 10:44
      Permalink

      Somos parceiros, Osni. E que o prefeito não diga depois, que não foi avisado.

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *