É só o deputado Plauto que apóia o Aécio, em Ponta Grossa, nesse segundo turno?

No domingo, 5 de outubro, a cidade elegeu três deputados estaduais – Márcio Pauliki, Péricles de Holleben Mello e Plauto Miró Guimarães Filho – e dois deputados federais – Aliel Machado e Sandro Alex. Dos três estaduais, um é de situação, relativamente ao governo do Estado, que é Plauto, que pertence ao DEM, enquanto os outros dois pertencem à oposição, Márcio é do PDT e Péricles do PT. No plano federal, houve uma justa distribuição, eis que Aliel é do PCdoB, aliado de Dilma na disputa pela Presidência da República, enquanto Sandro, que pertence ao PPS, integra o grupo de campanha do candidato Aécio Neves, do PSDB.

Os três deputados de oposição estão trabalhando pela reeleição da presidente Dilma. O deputado eleito Márcio Pauliki, inclusive, está percorrendo os municípios onde teve voto, empenhado em pedir apoio a Dilma para a Presidência da República, em atenção, inclusive, a um pedido da senadora Gleisi Hoffmann, de quem se tornou amigo próximo. Péricles e Aliel, naturalmente, cumprem a parte que lhes toca.

Considerando que o prefeito Marcelo Rangel pertence ao PPS, que aderiu à campanha de Aécio Neves, era de se imaginar que a campanha de Aécio em Ponta Grossa tivesse, nesse segundo turno, uma boa visibilidade, pelo trabalho do próprio prefeito, de seu irmão, o deputado federal reeleito Sandro Alex, e do deputado Plauto. Na prática, parece que o deputado Plauto é o único empenhado na vitória do senador Aécio Neves, porquanto nos locais onde antes Plauto exibia sua propaganda pessoal, ao lado de Beto Richa e do próprio Aécio, agora há placas do senador mineiro. Se coisa parecida estivesse sendo feita pelos irmãos Cruz de Oliveira – Marcelo e Sandro -, a campanha de Aécio estaria, seguramente, com um visual bem mais presente, até para aproveitar o embalo natural da preferência dessa candidatura, tanto no Paraná, quanto aqui em Ponta Grossa.

Aliás, em matéria de fidelidade política, o deputado Plauto Miró Guimarães Filho é um exemplo. É verdade que é preciso desconsiderar a eleição municipal de 2000, quando essa fidelidade deu uma escorregada, num apoio não muito velado à eleição do petista Péricles de Holleben Mello à Prefeitura da cidade, na tentativa de reeleição do prefeito Jocelito Canto. O candidato oficial do DEM, do PSDB e do PTB foi o empresário Carlos Roberto Tavarnaro, que tinha como vice a professora Elizabeth Silveira Schmidt, do DEM, que, nas eleições deste ano, disputou a Câmara Federal, pelo PSB.

Afora essa exceção da regra, Plauto, tanto no planto estadual, quanto no plano federal, desde 1990, quando se elegeu, pela primeira vez, deputado estadual, sempre manteve a fidelidade no apoio aos candidatos de seu partido e aos candidatos de partidos coligados ao seu. E isso aconteceu na campanha eleitoral deste ano, em que ele foi o mais fiel aliado do governador Beto Richa, para o governo do Estado, e do senador Aécio Neves, para a Presidência da República. E, neste segundo turno, continua a confirmar esse gesto bonito de fidelidade política.

Para todos os efeitos, a campanha de Aécio em Ponta Grossa está caminhando, além do esforço do deputado Plauto, por conta do prestígio nacional do próprio candidato e pela vontade do eleitor pontagrossense em tirar o PT do Palácio do Planalto.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *