Dos candidatos de Ponta Grossa, é preciso prestar atenção na candidatura de Aliel

De um modo geral, o processo de renovação, em tudo na vida, não obedece a um planejamento, mas, simplesmente, acontece. Vale observar o que está acontecendo na campanha presidencial, com a candidata Marina Silva. Essa candidatura presidencial não foi planejada, não foi programada, nem constava de qualquer consideração. De repente, aconteceu uma fatalidade, e Marina emergiu para revolucionar o quadro da sucessão presidencial.

No plano local, se há novidade, esta está no panorama das candidaturas à Câmara Federal, com a figura do jovem vereador e presidente da Câmara Municipal, Aliel Machado. Acadêmico do Curso de Pedagogia, na Universidade Estadual de Ponta Grossa, Aliel tem 25 anos e se apresenta como a mais insinuante proposta de renovação política de Ponta Grossa. A sua eleição para vereador, agora de 2012, foi o marco do lançamento de uma promissora carreira política. A sua ascensão a presidente da Câmara Municipal, numa comparação com a situação de Marina Silva, também não foi programada, nem planejada. Por uma orientação desastrada de alguém do grupo da situação do prefeito Marcelo Rangel, a oposição conquistou a presidência do Legislativo, por meio do vereador Aliel Machado, que registrou a sua candidatura, apenas por registrar, porquanto o candidato da oposição era o vereador Valdenor Paulo do Nascimento, o Cenoura. De repente, o desastre do comando político da bancada situacionista firmou pé na candidatura do também jovem vereador Alysson Zampieri, e Aliel o derrotou pela idade. Até parece uma ironia, uma derrota por idade, entre dois jovens políticos. Assim, Aliel “aconteceu” presidente da Câmara Municipal.

Líder estudantil e, como tal, com o projeto de “reformar o mundo”, Aliel se filiou ao Partido Comunista do Brasil, por se identificar, pela idade, com o projeto romântico de uma sociedade mais justa e igualitária, que não guarda a menor semelhança na realidade praticada por esse partido, nos países em que detém o poder. Mas, isso não conta no ideal de um jovem universitário, militante político, revolucionário, por natureza.

Amigo do ex-deputado Ricardo Gomide, que seria candidato, novamente, a deputado federal, Aliel estava à disposição do PCdoB, para ser candidato a deputado estadual. Entretanto, esse projeto de Aliel preocupava dois candidatos locais à Assembleia Legislativa, o seu amigo pessoal deputado estadual Péricles de Holeben Mello, do PT, e o empresário Márcio Pauliki, candidato a deputado estadual pelo PDT. É que os dois não queriam competir com Aliel. E passaram a “trabalhar” a candidatura de Aliel a deputado federal, embora a decisão final não lhes pertencesse. Acontece que, de uma hora para outra, o PT estadual, sem nome para lançar para o Senado da República, renovou a tradicional coligação com o PCdoB, lançando, então, o ex-deputado Ricardo Gomide para o Senado. E, aí, todas as portas se abriram para a candidatura a deputado federal do jovem vereador Aliel Machado. Para alegria de Péricles e Márcio.

Candidato único do PCdoB no Paraná a deputado federal, Aliel vem sendo a novidade eleitoral, com perspectivas favoráveis de uma vitória nas urnas do primeiro domingo de outubro. Mas, como eleição é um jogo, consideremos que Aliel não se consagre vitorioso no primeiro domingo de outubro, como deputado federal. Aí, na segunda-feira, primeiro dia depois da eleição geral de outubro, Aliel começará sua campanha para a Prefeitura de Ponta Grossa. Sem que nada tenha sido planejado e programado, Aliel se apresenta como o sucessor natural do principal líder de esquerda da cidade, o deputado Péricles de Holleben Mello. Que haverá de apoiar Aliel para prefeito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *