Contra a saúde virtual do prefeito, comissão mostra o cáos da saúde real da cidade

A Comissão de Saúde, da Câmara Municipal, está realizando um notável trabalho de levantamento da realidade do nosso Sistema Público de Saúde. Esse trabalho vem sendo realizado pelos vereadores Pascoal Adura, Altair Nunes e Nilsão, mais os vereadores Antonio Laroca Neto e Pietro Arnaud, como convidados.

O médico e vereador Pascoal Adura, presidente da Comissão de, Saúde, foi o convidado especial do programa “Verdade em Pauta”, da TVM, desta sexta-feira, e fez um relato preocupante do que já foi encontrado. E mostrou várias fotografias do que foi constatado no Hospital Municipal, revelando uma situação que desfaz o discurso virtual do prefeito Marcelo Rangel, da mesma forma, como chama o secretário da área, Erildo Muller, para dar uma satisfação pública à população de Ponta Grossa.

E a comissão já visitou o Hospital da Criança e também lá a situação é de cáos, com problemas, inclusive, na estrutura do prédio, o que já teria determinado uma interdição da metade do edifício, além de problemas na área da Saúde, com relatos que irão compor um relatório a ser encaminhado para uma série de autoridades, de modo a que o prefeito seja chamado à responsabilidade real para a situação da Saúde Pública de Ponta Grossa. As conseqüências haverão de ser sérias.

Essa comissão vai fazer uma visita ao prédio da UPA, que estaria apresentando, ainda, problemas de alagamento com as últimas chuvas que têm caído na cidade. E, assim também, os CRAS e postos de saúde, porquanto, o objetivo da comissão é fazer um balanço real e geral, de modo que a realidade possa ser confrontada com a virtualidade do discurso do governo e do prefeito, em meio ao anúncio da inauguração da UPA e do cumprimento do compromisso de campanha da criação e instalação do PAI – Pronto Atendimento Infantil -, no prédio da própria UPA.

É claro que esses problemas todos não pertencem, exclusivamente, ao atual governo; eles vêm de longe. Entretanto, como o prefeito, enquanto candidato, falou demais, prometeu demais, anunciou soluções demais, parece razoável que seja cobrado, até de menos, pelos exageros cometidos, notadamente, na área da Saúde Pública. Vale lembrar, inclusive, que o prefeito, nas suas promessas de campanha, disse que Ponta Grossa haveria de ser uma referência na Saúde Pública, para o Paraná e para o Brasil.

É verdade que o governo cumpriu, por ora, 15 meses, praticamente, de um total de 48. Porém, o que foi feito, ou deixou de ser feito, até aqui, não representa uma indicação de que possa resgatar a bravata da referência para o Estado e para o País.

Importa, por fim, dizer que a Comissão de Saúde está, com absoluta certeza, prestando um grande serviço à população de Ponta Grossa, no trabalho cuidadoso e responsável que está a proceder. E contra isso não pode haver argumento, porque fotografia e filme não mentem.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *