Coluna da Roseli Valério

PMDB USA REQUIÃO?

Há quem ache ser possível que o presidente nacional do PMDB, senador Valdir Raupp, ao admitir o lançamento da candidatura do senador Roberto Requião à Presidência da República – no caso de  fracassar a aliança com o PT –, tenha lançado mão desse expediente para demonstrar aos petistas que, se quiserem, os peemedebistas têm candidato para as eleições deste ano. A avaliação é de peemedebistas que não gostam do estilo do senador paranaense, na prática uma espécie de “consciência” que incomoda o PMDB, mesmo caso do senador gaúcho Pedro Simon. A notícia é que Raupp teria comentado que está preocupado sobre as relações com o PT, em conversa com Jorge Picciani, que preside o PMDB carioca. Até para conter o diretório estadual do Rio de Janeiro que, sem aliança com o PT, se mostra interessado em apoiar o tucano Aécio Neves para a disputa presidencial. Mas Raupp elogia o peemedebista do Paraná. “Neste caso, de não apoiar a Dilma, o melhor seria lançar uma candidatura própria como a do senador Roberto Requião. O Requião aceita o desafio. Ele teria 10% dos votos no início da campanha”, disse Raupp, pegando de surpresa Picciani.  A mesma preocupação tem o ex-presidente Lula, em sentido inverso. No meio da semana ele conversou com a presidente Dilma Rousseff para discutir principalmente os problemas na aliança entre PT e PMDB.

DUAS CARAS

Já o líder petista na Câmara dos Deputados, Vicentinho (SP), foi mais direto. Disse que o PMDB precisa definir se está na oposição ou na situação. “Nenhum partido da base do governo pode ter duas caras. Não se pode ser oposição e situação ao mesmo tempo”, ressaltou Vicentinho, ao comentar a postura do PMDB no Congresso.

EMENDAS

Naturalmente que Vicentinho fala o que Dilma e Lula pensam a respeito dos peemedebistas e sua indefinição. Ele critica e alfineta ainda mais porque o PMDB vem se posicionando contra o governo em votações consideradas prioritárias para a presidência. E articulou a formação de um bloco informal de deputados para pressionar o Planalto na liberação de emendas parlamentares, preocupados com a eleição em seus Estados.

MAIS LEVE

Moderando as palavras na sequencia, o líder do PT defendeu a manutenção do diálogo para chegar a um entendimento. “Eu recomendo que o governo continue dialogando. Esses partidos são importantes. O PMDB tem uma história longa com o país”, amenizou Vicentinho.

EM PESSOA

De certo para remediar a situação atual, na semana que vem, confirmou o deputado, o governo começará a mandar ao Congresso Nacional ministros para conversar com os líderes partidários e ouvir as demandas dos parlamentares. Em ano de eleição, além de reconquistar a aliança com o PMDB, as outras legendas da base aliada precisam ser mantidas para a disputa presidencial.

‘É GOVERNO’

Quanto ao mais importante, Vicentinho disse não acreditar que o PMDB, que ocupa a vice-presidência da República e comanda cinco ministérios, venha mesmo a sair do governo. “O PMDB não é um partido da base aliada, ele é um partido do governo. O PMDB está intrinsecamente ligado à estrutura do Estado brasileiro. Quem tem um vice-presidente não pode se dar o luxo de sair do governo”, observou.

LULA AQUI

Curitiba já tem data definida para o ex-presidente Lula desembarcar: será no próximo dia 14. A informação foi dada ontem pelo presidente do diretório do PT paranaense, Ênio Verri, deputado estadual. A partir deste mês Lula inicia um roteiro de viagens pelo país em campanha não só pela reeleição da presidente Dilma Rousseff, mas também como cabo eleitoral dos candidatos petistas aos governos estaduais.

INCENTIVO

A fase ainda é de pré-campanha, mas a presença do ex-presidente desde já, é considerada importante pelos petistas em função do estímulo que dará aos militantes, lideranças e pré-candidatos, além da população em geral das cidades que irá visitar.

COM GLEISI

Em Curitiba o encontro com os petistas será às 17 horas em um buffet de São José dos Pinhais, município vizinho a capital. Participam do evento petistas de todo o Paraná, em especial a senadora Gleisi Hoffmann, pré-candidata assumida do partido à sucessão do governador tucano Beto Richa.

AOS EDUCADORES

Será em Ponta Grossa a 14 ª Sessão do Fórum do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), nos dias 27 e 28 de março, no Cine Teatro PAX. As inscrições devem ser feitas antecipadamente na Secretaria Municipal de Educação de Ponta Grossa, informa o deputado estadual petista Tadeu Veneri. A agenda para os educadores é bem interessante.

DE PESO

Para o dia 27, estão programadas palestras do mestre em educação e pesquisador do CNPQ, Avanir Mastey, e o vice-presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação, Milton Canuto de Almeida.

TEMAS DE PESO

Representantes do Ministério Público Estadual e Tribunal de Contas do Estado participam do segundo dia do Fórum para debater o controle sobre o uso dos recursos da Educação junto com representantes da Promotoria de Justiça de Ponta Grossa e Secretaria Municipal de Educação e Conselho Municipal de Educação de Ponta Grossa.

PARA TODOS

Vale registrar que embora seja em Ponta Grossa, o Fórum do Fundeb é para educadores de todo o Paraná. Criado em 2004 o Fórum foi uma iniciativa conjunta da APP-Sindicato, Ministério Púbico e Tribunal de Contas do Estado e o mandato do deputado Veneri, entre outros parceiros. O Fundeb foi instituído pelo governo federal, depois de debates com educadores de todo o país.

PELO ESTADO

O Fórum já passou nas edições anteriores por treze cidades do Paraná. “Ainda neste semestre, faremos uma nova sessão em Curitiba”, antecipa o deputado. Para se inscrever na 14ª Sessão em Ponta Grossa, ligar para (42) 3901.6023 ou pelo e-mail sme.pg.pr.gov.br

SENAI NO PARANÁ

Mais de 3 milhões de paranaenses foram formados pelo Senai em seus 70 anos de atividades no Estado. “O maior legado é saber que o Senai, ao longo de sua história, deu oportunidade de crescimento a todas essas pessoas que já passaram pelas suas salas de aula”, destacou o presidente do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná – Fiep, Edson Campagnolo. O Senai é o Serviço Nacional de formação de técnicos para o setor produtivo.

70 ANOS

O dirigente fez o comentário na cerimônia de lançamento do livro que conta a trajetória do Senai no Paraná. A obra é parte das comemorações de aniversário do Senai no Paraná, que no próximo dia 12 de março completará 71 anos. Em 150 páginas, o livro “Senai 70 Anos” revela um panorama abrangente da história da instituição, apresentando sua importância na capacitação de mão de obra e no apoio ao desenvolvimento da indústria paranaense.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *