Município paga R$ 9 milhões e regulariza contas

Ontem, o prefeito Marcelo Rangel pagou parcela de uma dívida do Município, no valor de R$ 9,2 milhões, e concedeu entrevista coletiva. No início da noite, a Assessoria Municipal de Imprensa fez publicar no site da Prefeitura Municipal, a seguinte matéria:

Publicado por imprensa em

O prefeito Marcelo Rangel regularizou nesta segunda-feira (17) a situação do município junto ao Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR). Por conta das dívidas herdadas de gestões anteriores, garantidas por decisões judiciais, Ponta Grossa estava impedida de receber recursos dos governos Estadual e Federal. Para evitar que isso acontecesse a prefeitura pagou R$ 9,2 milhões referentes a precatórios. Com esse pagamento a cidade terá o Certificado Negativo do TJPR, nos próximos dias, e poderá receber investimentos em diversas áreas com: saúde, educação, obras. O pagamento foi efetuado no posto de atendimento que a Caixa mantém no prédio da Prefeitura.
“Estamos felizes por que estamos deixando o nosso município apto para receber recursos que vão auxiliar a nossa população. Mas é preciso esclarecer que com estes R$ 9 milhões, que fazem parte das dívidas deixadas pelos governos passados, poderíamos manter a UPA do Núcleo Santa Paula funcionando por oito meses e poderíamos adquirir cerca de 90 ambulâncias, também seria possível manter o Hospital Municipal em funcionamento por nove meses”,explica o prefeito Marcelo Rangel.
Os R$ 9 milhões também poderiam seriam utilizados para manter o funcionamento do Hospital da Criança quase um ano e meio (R$ 600 mil por mês), para manter todos os Centros de Atenção à Saúde e as Unidades Básicas de Saúde por 9 meses (1 milhão por mês). O dinheiro poderia ser aplicado no salário dos 68 médicos do Programa Saúde da Família por um ano (R$ 11 mil/mês) e ainda para compra de 37 UTIs móveis (R$ 240 mil cada)
Em 2013 a prefeitura pagou R$ 75 milhões em dívidas oriundas de gestões passadas. Os problemas começaram há 16 anos (1997-2012). Somente em precatórios ainda restam cerca de R$ 75 milhões e a dívida total que inclui FGTS, INSS, débitos com credores, fornecedores chega a R$ 260 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *